domingo, 23 de outubro de 2011

O que Deus pede de nós? (post 1) o resultado de atender ao pedido de Deus


O que Deus pede de nós? (post 1) o resultado de atender ao pedido de Deus

 “Agora, pois, ó Israel, que é que o SENHOR teu Deus pede de ti, senão que temas o SENHOR teu Deus, que andes em todos os seus caminhos, e o ames, e sirvas ao SENHOR teu Deus com todo o teu coração e com toda a tua alma,
Que guardes os mandamentos do SENHOR, e os seus estatutos, que hoje te ordeno, para o teu bem?”. (Deuteronômio 10:12-13)

Aqui neste importantíssimo texto bíblico, Moisés, o servo do Senhor, instrui o povo escolhido de Deus sobre o que ele requer deles.
Logo de cara, ao nos depararmos com este texto, vemos uma característica tremenda do caráter deste Deus.  Você deve ter notado que Moisés não diz: Eis o que Deus vos ordena, ou eis o que Deus vos obriga a fazer. Mas ao invés disto ele diz: “que o SENHOR teu Deus pede de ti”.
Ao contrario de muitos homens, meros mortais, o dono do universo aqui não ordena, ele simplesmente pede.
Não que Deus não tenha autoridade para ordenar, porque afinal de contas, nós somos feitura de suas mãos, obras do seu magnifico poder. Mas o fato é que ele não deseja de nós nada que não seja de todo o nosso coração. Para o Senhor não interessa somente o obedecer-lhe, mas mais do que isto, o querer obedecer-lhe.
A sua palavra diz que ele procura adoradores, mas adoradores que lhe adorem em espírito e em verdade: “Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.” (João 4:23)
Agora quando nós nos tornamos “verdadeiros adoradores” e desejamos de todo o nosso coração cumprir o que Deus pede de nós, esta nossa atitude gera um resultado tremendo para as nossas vidas, a saber: o nosso próprio bem. Moisés, depois de enumerar as coisas que o Senhor pede a seus servos, declara o porquê, ou seja, o real motivo de atendermos a voz de Deus: “para o teu bem”.
Sabemos muito bem, que tudo o que o Senhor nos pede é para o nosso próprio bem, pois a bíblia nos diz: “Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus...” (Mateus 7:11). Com toda certeza, Deus deseja o melhor para nós, se não fosse assim, ele não teria enviado o seu unigênito filho, para se oferecer em uma cruz pelos nossos pecados.
Mas o fato é que, também depende de nós, para que esta vontade de Deus, que a bíblia classifica como: “boa, agradável, e perfeita vontade de Deus” (Romanos 12:2). Depende também, sim, de nós, para que ela seja uma realidade em nossas vidas. Isto por que o Senhor, ao nos criar, nos dotou de uma característica chamada livre arbítrio. Esta característica, nos torna responsáveis por escolher o que queremos para as nossas vidas. Por mais que Deus deseje o melhor para nós, ele deixa a nosso cargo a escolha.
Desde o principio, Deus permitiu que o seu povo fizesse a escolha, entre atender o seu pedido, ou seguir a desobediência. Porém, ele também sempre alertou para as consequências de uma ou outra escolha:
“Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência,
Amando ao SENHOR teu Deus, dando ouvidos à sua voz, e achegando-te a ele; pois ele é a tua vida, e o prolongamento dos teus dias...” (Deuteronômio 30:19-20)
Desde esta palavra que o Senhor dirigiu a seus servos muito tempo se passou, porém, o Senhor não mudou, e nem a sua palavra, a escolha que ele nos propõe é exatamente a mesma dos seus servos do passado.
E você... o que tem escolhido?
“Escolhe pois a vida”!
Escolha a benção, escolha o Senhor!

Buscando dar ouvidos ao que Deus pede de mim, para desfrutar as bênçãos que advêm da obediência a sua voz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário